Vitor Gomes – Artista Vilhenense

Com a temática Cyber Punk, o artista vilhenense Vitor Gomes - Deadunlike, irá realizar uma exposição entre os próximos dias 12 e 15 de julho, intitulada Hellish Days (Dias infernais).

LINK DO EVENTO

A exposição acontece no espaço Miusa Art Decor, a Posse Cultural conversou com o artista e, além de conhecer um pouco mais sobre o trabalho do jovem, trocou uma ideia sobre a proatividade da cultura em Vilhena.

Abaixo, uma transcrição do que foi o bate papo com Vitor:

Exposição Hellish Day - Capa facebook
Um dos trabalhos da Exposição " Hellysh Days" de Vitor Gomes
Um dos trabalhos da Exposição " Hellysh Days" de Vitor Gomes

Posse - O Nome dessa exposição é "Hellish Days", é algo pessoal? Conta um pouco sobre esse nome.

Vitor - Hellish significa“Dias Infernais”. É e não é um coisa pessoal. O estilo das artes é uma ‘parada’ que eu gosto bastante. Vai ser muito syfy, futurista. Todo mundo que já assistiu filmes futuristas, sabe como o futuro é, tipo uma bosta. Por isso que são “Dias Infernais”.


Posse - Estou te perguntando isso, por que tem muitos Vilhenenses que talvez não saibam o que é isso. O que você acha que a pessoa que não sabe o que é esse mundo futurístico, vai encontrar lá na sua exposição?

Vitor - Cara, todas as peças vão ter essa pegada. Mas vai ser tipo, todas as artes que eu faço, e eu gosto que a pessoa veja e ela entenda o que ela viu. Tipo, você vai ver a arte e para você vai ter uma parada, mas as vezes para outro cara, ele viu e entendeu de outro jeito. É essa confusão que eu gosto de causar, entedeu!


Posse - O que as pessoas vaõ encontrar lá?

Vitor - Vão encontrar postêres impressos, bottons, chaveiros, cadernos...


Posse - É como uma exposição feira?

Vitor - É isso, uma exposição feira.


Posse - E quais são os processos, você faz digitalmente?

Vitor - Eu começo com um esboço, daí eu escaneio e o restante, tudo no computador. Os traços as cores.


Posse - E a pessoa que compra isso, qual é a originalidade que você oferece?

Vitor - São séries, 03 cópias de cada um, todas assinadas e estarão à venda apenas durante a exposição.


Posse - Você tem um convidado, Luis Cochi. Você pode contar um pouco do que ele faz?

Vitor - Ilustração também. Eu e ele somos da mesma pegada. Tanto que eu chamei ele por que fizemos uma exposição em Porto Velho, daí a gente acabou virando brother e tal. A ideia casou. O processo dele é o mesmo que o meu, primeiro o esboço depois faz o restante tudo no computador.


 

Trabalho de Luiz Cochi
Trabalho de Luiz Cochi

Posse - Quando começou o seu trabalho com artes? E por que?

Vitor - Desde 2012. Eu faço por que eu acho que falta muita coisa aqui em Vilhena.


Posse - O que por exemplo?

Vitor - Arte. Tem uma galera que sabe fazer, mas não tem apoio. Eu sempre converso com a galera e digo; Você desenha pra caralho, faz uma exposição, mete a cara lá e faz.


Posse - Qual a melhor carcterística desses novos desenhistas de Vilhena?

Vitor - Pelo o que eu converso com os piá, é por que gostam mesmo. Mas as vezes pela vergonha ou não correr atrás acabam nem fazendo, nem mostrando nada.


Posse - Você acha que produzindo as próprias exposições, e metendo a cara pode motivar mais essa galera? Foi assim com você?

Vitor - Foi. Como quando fui a Cuiabá e fiquei na sua casa (Jhon Douglas), que eu vi você e o Júlio Diniz, que eu conheci um pouco mais de arte, eu comecei a pesquisar, isso que me deu gás. Eu acredito que assim como eu, vários podem fazer.


 

Trabalho de Vitor Gomes - Deadunlike
Trabalho de Vitor Gomes - Deadunlike

Posse - Qual você acha que é a maior deficiência nesse meio aqui em Vilhena, em questão de oportunidade ou entendimento?

Vitor - Acho que a população não está muito acostumada, com a cultura, a gente vai para as cidades grandes, a população já está mais acostumada. Mesmo que você não conheça o artista a aceitação é bem maior. Isso eu acho que falta aqui. Por ter poucas coisas nesse sentido acho que as pessoas não estão adaptadas.


Posse - Qual você acha que é a solução pra que isso mude?

Vitor - Movimentar! Quanto mais movimentação, mais as pessoas vão "pegando o gosto".


Posse - E quem são essas pessoas que poderiam fazer?

Vitor - A cidade tem poucas pessoas. E as vezes as pessoas querem fazer mais se veem bloqueadas pela que cultura que gera aqui.


Posse - Onde você nasceu?

Vitor - Sou Vilhenense, nasci dia 18 Fevereiro de 94.

 


 

Exposição Deadunlike - Hellysh Days

Quando? Inaugura dia 12 de Julho às 19H e vai até dia 15 de Julho

Onde? Miusa Art Decor

Paga pra entrar? Não. O evento é GRATUITO

 

Entrevista: Equipe POSSE Cultural

Texto Transcrito por: Luh Coelho